domingo, 25 de outubro de 2009

Dançava sob o fio
Bailarina sem talento
Tropeçava e balançava
Na corda ao relento

E achavam graça os palhaços
Em tanta falta de jeito
da bailarina que buscava laços
No céu que é vôo
No chão que é leito

Mas ela não aspirava às nuvens
E tampouco ao piso
A bailarina queria o meio
Metade sonho
Metade juízo

E de tanto pisar incerto
Pela linha imprecisa, corda que rebenta
A bailarina confundiu o perto
E tombou sob a lona imensa

Em um tropeço distraído
Jazia morta sob o holofote
O corpo em sangue caído
A corda bamba – linha de morte

Bailarina meio termo
Traída pelos próprios passos
Deixou o corpo em solo ardendo
Subiu aos céus erguida em laços

terça-feira, 20 de outubro de 2009

De repente o sorriso se aproxima, os corpos se encontram e os olhos imaginam fechados o que ninguém vê. Ela se entrega, ele se desfaz. A bailarina salta no ar, e cai sob a lona prateada. Cai com asas e plumas, como voa a gaivota em torno do barco. Navega, navega pelos mares. 1,2,3 mares. 4,5,6 mares. 7 mares sem fim. O navegante nunca teme o mar e suas criaturas misteriosas. Canta saudoso, volta Maria, volta que meu pranto te clama, Maria. Chama, Maria. Maria das Chamas. A sereia escuta e se apaixona. Logo a sereia que nunca amou ninguém, a sereia traiçoeira que tantos marinheiros afogou com seu canto. Afunda no oceano. Afunda. Afunda. Mergulha sem fim e sem volta e acorda na lona prateada de um circo. Cuspidores de fogo, leões e mágicos. Cores, música, palco. Luzes, canto, gritos. Elefantes e equilibristas caminham lado a lado. Na mesma corda bamba, caminham, atordoados. As cartomantes vibram com suas saias rodadas. Giram em órbitas confusas, em pés que se cruzam e mãos que se tocam. A orquestra não pára e as crianças gritam bis. Bis! Bis! Bis! Até que as vozes se calam e o silêncio se preenche de pulmões ofegantes... Ela vai cair, vai cair.. sussurram .. está caindo.. está caindo.. murmuram. E tomba a bailarina ao rufar dos tambores. Está liberta a sereia na rede do pescador. Nem peixe nem pés, ela é Maria das Chamas.

domingo, 18 de outubro de 2009