domingo, 19 de fevereiro de 2012

Jurei que tinha ainda visto

A pose da sua sombra

na sombra da sua cortina

O desatinado das pontas agudas

na cortiça na janela.

Inda cedo,

Quando dia,

Jurei ter dito ao mundo

Que era tão meu o mundo

Ali, a sua lembrança nas paredes,

Que eu era menos parte

Ali, no outro lado da janela

Do que as margens,

Do quarto,

vazio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário